Segunda-feira, 25 de Junho de 2018

onde jaz o teu sorriso?

retratos. retiros. remexendo em memorias de quem nao entende que os navios nao precisam de rumo. quem é somente fraqueza e caravela, que não retira nada do espaço que ocupa/ e tu, ó tu

que só queres ver filmes sentrada na tua poltrona do fracasso. 

eu mudo o compasso mas há dias que nada em mim me muda/assim me fecho no mundo como quem aceita o peso da carapaça/ saudades como uma mera afronta não era vista como uma ameaça. 

o ser inanimado que comeu aquela minha cara+paça mas rapidamente a engoliu e trouxe de volta a minha porta com maior defeito do que a perdi/ nao deixou a porta tive de ir buscar.o monstro do amor ou o meu suposto amor que era um monstro, porque naturalmente o cosmos escolheu para mim a podridão robótica em formato de homem - o sensacionalismo de quem só na minha cabeça me fez sentir algo que fosse bom. era ele monstro ou tornamo-nos quando isto aconteceu. 

 


publicado por killua às 21:14
| |

...

nunca ha trabalhos acabados so mais alguns retratos espalhados nesta casa de tempos em que ainda nos tentavamos entender,agora parece que estagnamos normalizamos que estamos a sofrer. as historias que nos contam ja nao chegam /temos de viajar nos deixar de televisao/ ir ao encontro dessa tal satisfaçao aparentemente inalcançavel 

 


publicado por killua às 21:13
| |
Domingo, 17 de Junho de 2018

...

ainda que caídos no miraculo da transigência, os inimigos fecharão as portas a qualquer simulacro obsequioso de conhecimento do Outro.

ao se tornarem delineadores de fronteiras sabotaram a indissolução da terra que havia sido Prometida aos que menos se acostumaram aos demais espíritos inconscientes

esquecem que venturosamente me materializo no meu próprio planeta. os astros não oferecem a sua mão aos mestres da auto-intitulação divina.

nenhuma casa na lua se compararia ao extâse de sair da paranóia deste circo de pensamento; a sair do círculo restringente do meu cansaço
negar a repetição malevolente do massacre consumista a que se dedica esta tesão e desejo

a balança nunca transparece franqueza quando se aproxima o julgamento das nossas raízes no espaço

assim pesa muito que se sinta o amor um recurso esgotável perante a minha humanidade
assim pesa muito que a superficialidade tenha engolido qualquer tentativa de acumpliciamento

resta o sabor da madrugada em que neguei a reconciliação com todos os meus sentidos.
chega de nutrir inveja megalomana pela calmaria que os Outros invade
submeto-me à caída iminente no abismo porém manter-me-hei espectadora do desenrolar da batalha


publicado por killua às 21:11
| |

...

achas que não é um privilégio ter um sítio onde podes criar?


publicado por killua às 20:52
| |

...

quantos so entram em contacto por causa daquilo que eu tenho e o quanto eu nem sou dona daquilo que achei que era muito verdadeiramente meu. nao vou explodir os ouvidos de ninguem porque nao tenho o direito de retirar seja quem for da sua propria  bolha. eu desmantelei a minha propria e pagarei caro por isso.

ate voltar a ser eu

parece que o passar dos dias a mim me corrói a alma e nunca será a altura certa.abandonei tudo

hiper sensibilidade a minha possibilidade

settling for nothing ever

 

? :

publicado por killua às 20:52
| |

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 109 seguidores

.pesquisar

 

.Outubro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
27

28
29
30
31


.posts recentes

. ...

. ...

. ...

. onde jaz o teu sorriso?

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Outubro 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Dezembro 2017

. Dezembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Agosto 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

.?

. todas as tags

.☆

. need you like water in my...

. Letters

SAPO Blogs

.subscrever feeds